Abordagem de Ensino Baseada no Jogo

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

MELHOR TÉCNICO DO MUNDO EM 2010


A FIFA vai eleger pelo ano de 2010 o melhor técnico de futebol do mundo (prêmio este, que será concedido pela primeira vez pela instituição). Muitos apostam em Vicente del Bosque, técnico campeão do mundo pela Espanha, no mundial da África do Sul. Mas será que um técnico de seleção merece ser consagrado melhor técnico do mundo, com ênfase apenas em 7 jogos de um Mundial e (fora Eurocopa e eliminatórias), com a base da equipe titular quase toda do F.C.Barcelona?



Outros apostam em Pepe Guardiola! Sim, vem demonstrando ser um dos grandes treinadores do mundo, com certeza. Colecionando títulos com o F.C. Barcelona, sem dúvida o clube dono do maior futebol do mundo. Mas é aí que vem a pergunta: conhecemos o Pepe Guardiola do F.C. Barcelona, não treinou nenhum outro clube. Será, que seu sucesso aconteceria num clube de menor expressão?


Não poderia deixar de mencionar José Mourinho. Depois de vários anos como auxilar técnico no F.C. Barcelona. Seu primeiro clube com treinador principal foi no S.L. Benfica (2000/2001) mas não terminou a temporada, pois o novo presidente tinha outros planos para o técnico do S.L. Benfica. No ano seguinte aceitou treinar a União de Leiría, a campanha com este clube o catapultou a um clube grande, o F.C. Porto que começou trabalhando no meio da temporada e em 2002/2003 foi sua primeira temporada completa como treinador princnipal. E ganha as três competições que participa UEFA, Liga e Copa de Portugal. Na temporada 2003/2004, ganha a Liga dos Campeões e Campeonato Nacional. Na temporada 2004/2005 se transfere para o Chelsea F.C. e ganha a Liga Inglesa (primeiro técnico estreiante a ganhar a Liga no seu primeiro ano) e Copa da Liga Inglesa. Depois vai para a Internazionale de Milano e ganha três título italianos consecutivos e mais uma vez a Liga dos Campeões, temporada 2009/2010.

Observando os fatos: José Mourinho é o MELHOR TÉCNICO DE FUTEBOL DE 2010. (na minha opinião). 

P.S.: Feliz 2011 para todos! Muitas conquistas e fortalecimento para o nosso futebol.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

CENTROS DE TREINAMENTO


A Universidade Federal de Viçosa (UFV) em parceria com o canal Sportv realizaram uma pesquisa para saber quais os melhores Centros de Treinamento do país. Com essa pesquisa, vocês podem tirar suas conclusões de como alguns clubes tratam de um assunto de suma importância para uma equipe de futebol, que é, a sua preparação em um local adequado!


Desejo a todos um Feliz Natal e um 2011 repleto de conquistas!

Cordial abraço e até 2011.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

FUTEBOL É COISA SÉRIA


Chegou ao fim mais uma edição da Furacão Soccer Camp. Evento promovido pela Escola de Formação de Talentos do Clube Atlético Paranaense. Tivemos diversas atividades voltadas ao futebol com os meninos de 5 anos há 15 anos dentro do Centro de Treinamento Alfredo Gotardi (CT do Caju) estrutura utilizada pela equipe profissional do clube.

Tivemos palestra com o ídolo do clube Paulo Rink, que conversou com a gente sobre a dificuldade e os benefícios de ser jogador profissional. Tivemos atividades nos campos do CT (que ao todo são 8 campos com medidas oficiais), utilizamos a pista de propriocepção, a sala de musculação e a piscina, para que as crianças e os adolescentes pudessem vivenciar como é o dia a dia de um joagador profissional.


E como o principal dia de um jogador de futebol é o domingo, tivemos no domingo a realização das partidas. Com um bom desempenho dos meninos.







Para entendermos que futebol é coisa séria, precisamos entender que o futebol é um misto de sonho com persistência. Muitos dos meninos que participaram do Camp, nunca conseguirão ser jogadores de futebol. Mas com oportunidades como essas, podem vivenciar como o futebol profissional é organizado e estruturado, e aqueles que tem potencial, já começam a vislumbrar como será futuramente a sua rotina de trabalho dentro de uma verdadeira estrutura que oportuniza o pleno desenvolvimento de um jogador de futebol. 

Mais uma vez o Clube Atlético Paranaense sai na frente dos outros clubes de futebol do Brasil, abrindo as suas portas do seu CT em época de férias dos atletas profissionais e oportuinzando as crianças e seus pais conhecerem a estrutura que a seleção brasileira usufruiu na preparação para Copa de 2010.

P.S.: O prepardor físico Carlinhos Neves, estava lá no CT na quinta-feira dia 16/12/2010. Há rumores que ele possa assumir a preparação física do clube em 2011. 

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

III FURACÃO SOCCER CAMP


Crianças e adolescentes de 5 a 15 anos que sonham em ser jogador de futebol podem ter uma vivência única sobre o dia a dia de atletas. É o que prevê o III Furacão Soccer Camp, promovido pelo Departamento de Escolas de Futebol do Atlético Paranaense. A ação ocorre de 16 a 19 de dezembro, nas dependências do CT do Caju, dando a oportunidades aos participantes de receber treinamentos específicos com treinos táticos, técnicos e físicos, além de palestras, filmes e demais atividades relacionadas à prática do futebol.
Eu estarei participando deste evento. E usufruindo (mais uma vez) de toda a infraestrutura do Clube Atlético Paranaense (a mesma estrutura usada para a preparação da Seleção Brasileira antes do Mundial). Mais uma oportunidade na minha curta carreira, pois estarei integrado com os colegas da capital, podendo trocar ideias e colocá-las em prática durante estes quatro dias.
Mais uma vez o Clube Atlético Paranaense mostra a sua preocupação e investimento na formação de seus (futuros possíveis) jogadores. 

sábado, 4 de dezembro de 2010

JOGO PARA A MOBILIDADE OFENSIVA

Princípio: Mobilidade Ofensiva;

Sub-Princípio: Zonas de Criação;

Complexidade: 3 (média alta);

Objetivo: Utilização do espaço entre as linhas adversárias;

Dimensões: 60m X 40m;

Tempos: 6 X 4'                                      Recuperação: 1'30"

Adaptação Biológica: Mobilidade Específica;

Materiais: Discos, coletes e bolas.

Descrição
Número de Jogadores 12 (5:5 + 2 goleiros)

Jogo específico 5:5. Onde as equipes se enfrentam na área demarcada central, a equipe atacante tem que, mater e circular a posse de bola e, quando observar uma oportunidade, terá que lançar a bola por dentro de uma das três balizas de 4 m situadas dentro das áreas dos goleiros para poder finalizar em gol. Só poderá entrar na área do goleiro um dos atacante e nenhum defensor. A equipe defensora deve realizar uma marcação individual por setor (aquela que cada jogador é responsável por marcar o adversário que invade o seu espaço).  

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

FORMAÇÃO vs CONTRATAÇÕES (O CASO F.C. BARCELONA)


Simplesmente IMPRESSIONANTE! É o que tenho a dizer do jogo de hoje. O F.C. Barcelona, mostrou uma superioridade e dominação contra o Real Madrid C.F., digna de perfeição (se isso for possível no futebol?). Mostrando ao mundo que investir na formação de jogadores é o melhor caminho. Terminou o clássico (5 X0), com um gol, na jogada de duas jovens promessas do clube, Bojan e Jeffren. Além dos gols de Xavi (para mim, melhor do mundo nesta temporada) e Pedro . Todos formados nas divisões de base do clube (canteranos), ao contrário do Real Madrid  C.F., que contratou muitos jogadores e, hoje que foi seu principal jogo pela Liga não mostrou o "amor pela camisa branca". Enfim, termino este post com um citação muito apropriado para o jogo de hoje:

 "Os anos passaram, e com o tempo acabei por assumir a minha
identidade: não passo de um mendigo do bom Futebol. Ando pelo
mundo de chapéu na mão, e nos estádios suplico:
- Uma linda jogada, pelo amor de Deus! E quando acontece o bom Futebol, agradeço o milagre, sem me importar com o clube ou o país que o oferece."

Eduardo Galeano (2002)

sábado, 27 de novembro de 2010

F.C. BARCELONA vs REAL MADRID C.F.

Na segunda-feira dia 29/11/2010, ocorrerá o jogo do ano! F.C. Barcelona vs Real Madrid C.F. no Camp Nou. Um jogo onde todos queremos ver um confronto, onde o Barça, com seu modelo de jogo de posse e circulação de bola e, o Real Madrid, com o seu modelo de jogo de transição rápida ofensiva, promete. Outro detalhe incrementa o clássico, quando estarão em campo vários campeões mundiais. Pelo Barça: Valdés, Puyol, Piqué, Xavi, Iniesta, David Villa, Sergio, Pedro, além de, Messi, Dani Alves, etc. Pelo Real Madrid: Casillas, Sergio Ramos, Albiol, Arbeloa, Xabi Alonso, além de, Cristiano Ronaldo, Khedira e Özil, etc.

Outras particularidades do clássico:
  • As equipes são respectivamente líder e vice-líder da competição, Real Madrid (32 pontos) e F.C. Barcelona (31 pontos);
  • Cristiano Ronaldo com 15 gols e Messi 13 gols, realizam uma briga pela artilharia da competição, (lembrando que Messi nunca marcou em uma equipe dirigida por José Mourinho e Ronaldo nunca marcou contra o Barcelona);
  • José Mourinho, está invicto nesta temporada (19 jogos oficiais) com o Real Madrid C.F. (e já foi adjunto do F.C. Barcelona), apesar de nos últimos quatro jogos, só ter dado F.C. Barcelona com um placar agregado desses quatro confrontos sendo, 11 X 2 pro Barcelona;
  • As duas equipes estão empatadas como o ataque mais positivo da competição (33 gols para cada uma), no desempate dá Real Madrid C.F. (tomou apenas 6 gols) e o F.C. Barcelona (tomou 8 gols);
  • Tamanha é a popularidade desse jogo, que será exibido em 81 salas de cinema da Espanha e, está sendo chamado pela imprensa espanhola de "O JOGO DO SÉCULO".
Eu não perderei este jogo por nada! E vocês?

sábado, 20 de novembro de 2010

MECANISMOS ESPECIAIS PARA POTENCIALIZAR SUA EQUIPE

Segundo José Mourinho:
"Num jogador inteligente, sim. Não vou pela cultura, porque a sua aquisição nada tem a ver com a inteligência. Uma metodologia orientada em função de grandes objetivos em que há uma relação íntima entre o modelo de treino e o modelo de jogo, no qual os jogadores, para perceberem o modelo de treino, tem de perceber o modelo de jogo. Quem é inteligente assimila mais depressa as coisas. Os outros podem interiorizar isso através da repetição sistemática de determinados exercícios durante os treinos. São induzidos nesse sentido. Mas a inteligência acelera o processo para adquirir esses objetivos."
Sendo assim, a metodologia de treinamento deve possuir três aspectos:
  • Perceber;
  • Pensar; e
  • Responder.
Os mecanismos perceptivos, cognitivos e cinéticos, devem estar sempre presentes na execução dos exercícios (jogos) durante as sessões de treinamento. Os exercícios tem que desenvolver os três mecanismos com eficiência e rapidez. Pois, o futebol é um jogo essencialmente tático, de tomada de decisões, os jogadores passam o jogo todo, selecionando, julgando e decidindo o que fazer, com ou sem a posse da bola. E, se isso for oportunizado e operacionalizado durante as sessões de treinamento semanal, será bem provável que o êxito desta equipe acostumada a trabalhar assim seja maior do que a equipe que trabalha na forma tradicional.



quarta-feira, 17 de novembro de 2010

JOGO DE TRANSIÇÃO COM ÊNFASE NOS CRUZAMENTOS


Princípio: Valorização da posse de bola e retirada do setor de pressão;

Sub-Princípio: Mecanismos de saída;

Complexidade: 3 (média alta);

Objetivo: Articulação intersetorial entre defesa e meio e defesa e ataque;

Tempos: 6 X 5'                                            Recuperação: 2';

Adaptação Biológica: Resistência Específica;

Materiais: Discos, coletes e bolas;

Dimensões: 1/2 campo;


Descrição

Número de jogadores 14 (6:6 + 2 goleiros)

Jogo específico 6:6. O jogo tem como objetivo manter a posse da bola e realizar a articulação intersetorial entre defesa, meio e o ataque. A equipe de posse de bola (atacante) tem que lançar a bola dentro de uma das áreas demarcadas nas laterais do campo, para poder realizar o cruzamento sem oposição e, poder finalizar. É obrigatório a bola passar por um das áreas para validar a finalização.

Jogo realizado pelo Professor Michel Huff, na época que estagiei com ele.

Abraço e sucesso Professor!




sábado, 6 de novembro de 2010

PROPRIOCEPÇÃO E TREINAMENTO DE FUTEBOL

video

Propriocepção é o termo utilizado para nomear a capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo, sua posição e orientação, a força exercida pelos músculos e a posição de cada parte do corpo em relação às demais, sem utilizar a visão. Este tipo específico de percepção permite a manutenção do equilíbrio e a realização de diversas atividades práticas. Resulta da interação das fibras musculares que trabalham para manter o corpo na sua base de sustentação, de informações táteis e do sistema vestibular, localizado no ouvido interno, responsável pelo equilíbrio. A propriocepção é efetiva devido à presença de receptores específicos que são sensíveis a alterações físicas, tais como variações na angulação de uma articulção, rotação da cabeça, tensão exercida sobre um músculo, e até mesmo o comprimento da fibra muscular.

Sabendo que existe uma estreita relação entre as dimensões de propriocepção e as capacidades coordenativas, que são o objeto central do treinamento básico motor e determinam a etapa inicial da estrutura do treinamento sistemático de longo prazo para a promoção de talentos no futebol. Utilizo essa metodologia preventiva de trabalho com as equipes Sub-11, Sub-12, Sub-13, Sub-14 e Sub-15. Pois sabemos que, nenhuma modalidade esportiva desenvolve todos os grupamentos musculares de modo harmônico. No futebol não poderia ser diferente, pois seu treinamento durante os anos de formação e manutenção propicia adaptações musculares específicas e localizadas em maior proporção nos músculos flexores do quadril e extensores de joelho. Estas adaptações geram desequilíbrios musculares que por sua vez podem levar a distúrbios articulares, como por exemplo, a síndrome fêmoro-patelar.

É dado ênfase nos seguintes segmentos corporais:

· Reforço dos tornozelos;

· Reforço dos joelhos;

· Relação abdômen/paravertebrais.

A propriocepção está voltada para a melhoria na execução do movimento relacionado à utilização de bases instáveis ou movimentos que estimulem o desequilíbrio, fornecendo estímulos que adaptem a articulação e seus grupamentos musculares específicos aos movimentos inerentes ao esporte praticado (no nosso caso, o futebol).

Desta forma, demonstra-se a importância da formação acadêmica para trabalhos de iniciação esportiva com preocupação na boa formação e desenvolvimento harmonioso dos atletas.

sábado, 30 de outubro de 2010

JOGO PARA A ORGANIZAÇÃO OFENSIVA/DEFENSIVA


Princípios: Organização Ofensiva/Defensiva

Sub-Princípio: Retirada da bola do setor de pressão

Complexidade: 3 (média alta)

Objetivos: Lançamentos em profundidade e circulação da posse da bola

Tempos: 5 X 8'                                          Rec.: 2'

Adapatação Biológica: Resistência Específica

Materiais: Discos, coletes e bolas

Dimensões: 3/4 de campo

Descrição

Número de jogadores 14 (6:6 + 2 goleiros)

Jogo situacional 6:6. O jogo ocorre no espaço central demarcado de aproximadamente 30 m X 25 m. A equipe de posse de bola, tenta progredir no setor, tendo que efetuar no minímo quatro passes no interior do espaço central demarcado, para após, poder realizar o lançamento em profundidade para a finalização. Nenhum defensor pode deixar o espaço demarcado para impedir a finalizar. Sendo assim, a equipe defensora, deverá realizar marcação pressão ao homem de posse da bola para evitar o lançamento.   


sábado, 23 de outubro de 2010

JOGO PARA A ORGANIZAÇÃO OFENSIVA


Princípio: Organização Ofensiva

Sub-Princípio: Equilíbrio Posicional = Amplitude e Profundidade

Complexidade: 2 (Média)

Objetivo: Utilização do espaço entre as linhas defensivas adversárias

Tempos: 12 X 1'                                           Recuperação: 45"

Adaptação Biológica: Mobilidade Específica

Materiais: Coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 11 (5:5 +1 goleiro) Dimensão 1/2 campo

Jogo situacional 5:5. Onde um dos volantes realiza um passe para o meio rotativo, este faz a escora e o volante realiza um lançamento para um dos atacantes abertos em um das laterais. Assim começa a disputa contra os defensores até a finalização. Os atacantes devem buscar sempre a profundidade de jogo e os defensores utilizarem a amplitude do campo para realizar as marcações.

sábado, 16 de outubro de 2010

RELEVÂNCIA PRIMORDIAL DO TREINAMENTO NA FORMAÇÃO

"Um treinador de futebol que só sabe de futebol, é um péssimo treinador de futebol" (Autor desconhecido, citado por Mourinho, 2003).
Com base nessa citação, entro no assunto desse artigo semanal. Quando nos reportamos ao processo de operacionalização do treinamento, temos que ter em mente, quem é o responsável por isso? O cérebro. Pois segundo Caldas (1999, p. 132), quando o cérebro porcessa uma determinada informação, ativa sequencialmente, e em paralelo, um complexo arranjo de células nervosas ligadas entre si. Existe assim um componente temporal de sequenciação de entrada (INPUT) em atividades de operadores, e um componente espacial de ocupação topográfica que tem a ver com a localização desses operadores no cérebro. Podemos aceitar que quando um indivíduo se confronta duas vezes com uma situação idêntica, nas duas vezes ativará as mesmas estruturas, já que a ativação das células nervosas é um processo desencadeado pelas ocorrências do mundo exterior que podemos quase considerar um processo adaptativo automático. 

Entrando agora no campo da sociologia, (que fará parte no processo da minha Dissertação de Mestrado), preciso relatar Bourdieu, que diz o seguinte:
"(...) O habitus designa as capacidades inventivas e criativas dos atores sociais, um conjunto de disposições carregadas pelos atores na sua trajetória de vida, sendo também as estruturas estruturantes incorporadas pelos atores sociais em campo da vida social. É a capacidade do indivíduo atuar como agente da estrutura social, como criador e não apenas como simples reprodutor das estruturas dadas" (Bourdieu, 1996, p. 203-211).
Para que possamos melhor compreender essa noção de habitus no futebol, devemos entender o processo de formação de um jogador de futebol. Rodrigues (2002), bem o fez desta forma:
 "(...) a aprendizagem do jogador compreende um habitus, isto é, um capital com o qual ele joga, classifica e constrói realidades. Os jogadores levam a estrutura do clube a que pertence em suas trajetórias. Consciente ou inconscientemente, ele reproduz a maneira e o estilo de jogar do clube formador ou daquele no qual está atuando (...)" (Rodrigues, 2002, p. 28).
Percebemos assim, a importância da formação naquilo que deve ser o entendimento do JOGO na sua essência. O sucesso de escolas de formação como a do Ajax encaixa nesta lógica de estimulação precoce de uma ideia de jogo própria treinada desde bem cedo pois isso facilitará a sua evocação na idade adulta.

Desta forma, explica-se as dificuldades de adaptação de alguns jogadores quando são negociados. Essas dificuldades de adaptação podem ser causadas por diferenças culturais. Assim, o bom jogador no Brasil pode não ser na Inglaterra, porque pode demorar muito tempo para codificar em seu cérebro um estilo de jogo e fazer desaparecer o antigo que já estava enraizado.

Fica assim, evidenciada a relevância primordial do Treinamento na Formação que busca o que será o JOGAR de uma equipe. Pois será ele o responsável pelo sentido de familiaridade e reconhecimento que conduzem aos mesmos padrões de ativação que às decisões exigem durante uma partida de alto nível.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

CAMPANHA NA II COPA PAULO RINK


Chegou ao fim hoje pela manhã a II Copa Paulo Rink. Minhas equipes tiveram uma participação modesta no Sub-14 e Sub-12. Já o Sub-13 teve uma campanha impecável, onde realizaram seis partidas, tendo cinco vitórias:
Fase Classificatória
 Porto União 3 X 0 Fazenda Rio Grande
 Porto União 1 X 0 Cornélio Procópio
 Porto União 2 X 0 Ponta Grossa

Quartas de Final  
Porto União 1 X 0 São Paulo

Semi-Final
Porto União 2 X 0 Cornélio Procópio

E hoje pela manhã enfrentamos a equipe de Curitiba (categoria de base) na final e não suportamos o volume de jogo dos adversários, e, sucumbimos num fatídico, Porto União 0 X 4 Curitiba. Mas, como já relatei, enfrentamos à equipe da categoria de base Sub-13, lembrando que a minha equipe é uma Escola Oficial do Clube que treina duas vezes na semana. Assim, aproveito para agradecer a todas as equipes que participaram da competição, agradecer aos meus atletas, que se portaram dignamente e representaram muito bem o município. Agradeço ao Clube Atlético Paranaense pela iniciativa da realização de uma competição desse porte, desta forma o clube poderá ter muitos meninos bons de bola e formados como cidadãos.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

PRINCÍPIO DAS PROPENSÕES


Esse é um dos princípios utilizados por José Mourinho em sua metodologia de treinamento para o futebol. Pois, segundo este treinador, a ideia de que, para que haja adaptação é necessário aumentar as cargas, o volume e a intensidade, privilegiando um destes fatores, para que, em função de um mais ou menos demorado efeito retardado das cargas irem progredindo. É muito redutora e não tem nada que ver com a sua concepção de treinamento do futebol. É um bloqueio epistemológico.

Para entender verdadeiramente a metodologia de treinamento de Mourinho, é, necessária uma ruptura com a noção tradicional de carga. Através do princípio metodológico das propensões e partindo da premissa de que qualquer ação a ser realizada no treinamento, assenta-se sobre um determinado propósito tático relacionado com a nossa forma de jogar. 

Para Oliveira (2009) esse princípio é definido como a densidade de princípios, sub-princípios e sub dos subprincípios que se pretende treinar. O que isso significa? Consiste em fazer aparecer um grande número de vezes o que queremos que nossos jogadores adquiram, provocando assim a repetição sistemática. Por exemplo: se eu quero trabalhar a finalização, crio um exercício para que aconteça esse comportamento dez, vinte vezes, etc., durante a sessão de treinamento, até mais do que no jogo, e é isso que leva a maior facilitação em termos de assimilação. Pois, para Oliveira (2003) a repetição sistemática proporciona aos atletas uma efetiva compreensão de determinados princípios e padrões de jogo implementados pelo jogar da equipe. Enfim, trata-se de qualidade do que se pretende fazer e não só em quantidade.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

II COPA PAULO RINK


Terá início na sexta-feira dia 08 de outubro há segunda edição da Copa Paulo Rink de Futebol. Este ano, a competição será sediada nos munícipios de Porto União - SC e União da Vitória - PR. Esta é uma competição exclusiva das Escolas Oficiais do Clube Atlético Paranaense, que têm como principal objetivo realizar a integração entre as diversas Escolas do Clube por todo o país. E contará com a presença do próprio Paulo Rink, que empresta o seu nome à esse evento, por ter tido uma bela história no Clube. 

Já temos confirmadas às presenças de cidades importantes como:

Curitiba (que vem representando o Clube, inclusive com meninos que já disputaram esse ano um torneio internacional na França);

Ponta Grossa;

Cascavel;

Guarapuava;

Medianeira;

Porto Alegre;

São Paulo;

Cornélio Procópio;

Prudentópolis;

Fazenda Rio Grande;

Guaraniaçú;

Francisco Beltrão;

Tupãsi; (entre outras)

A minha sede (Porto União) estará participando nas categorias, Sub-12, Sub-13 e Sub-14. Lembrando que também haverá a categoria Sub-15. A organização é da Planeta Bola, experiente em organização de competições. Onde realiza a Copa Saudades, Adidas dentre outras.

Espero um evento de nivel alto e com bons modelos de jogo pra serem observados.

Sub-12                                                
Porto União                                 
Fazenda Rio Grande                                                
Porto Alegre
Ponta Grossa

Sub-13
Porto União
Fazenda Rio Grande
Ponta Grossa
Cornélio Procópio

Sub-14
Porto União
Francisco Beltrão
Ponta Grossa
Porto Alegre                            

sábado, 2 de outubro de 2010

JOGO PARA A CONSTRUÇÃO DE SAÍDA DE BOLA A PARTIR DA DEFESA


Princípio: Valorização da posse de bola e retirada do setor de pressão

Sub-Princípio: Mecanismos de Saída

Objetivo: Circulação da bola com o goleiro e pressing ofensivo

Tempos: 6 X 5'                                           Recuperação: 45"

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: 1/2 campo

Materiais: 3 balizas, discos, coletes e bolas

Descrição

Número de Jogadores 12 (5:4+3 goleiros)

Jogo situacional 5:4, onde o treinador lança uma bola entre o ataque e a defesa que está posicionada em uma linha alta do campo. O objetivo é sair jogando com o goleiro para escapar do pressing realizado pelos três atacantes e tentar fazer o gol em uma das duas balizas protegidas pelos goleiros na linha de meio campo. 

domingo, 26 de setembro de 2010

METODOLOGIA NA FORMAÇÃO DE JOGADORES


Concordo plenamente com Mourinho, quando este diz:
"Quando chego em um clube, tenho a preocupação de fazer chegar até ao Departamento de Formação não só o modelo de jogo, mas também o modelo de treinamento que quero implantar no clube, desde a base até a equipe principal..." (Mourinho, 2007 p. 149)

Lendo esta declaração me recordo de que José Mourinho foi auxiliar técnico de Louis Van Gaal, que é holandes. Todos nós gostamos do futebol apresentado pelo FC Barcelona, que também teve como mentor outro holandes Johann Cruyff, que iniciou este processo que estamos vendo os resultados agora. Que nada mais é que a Metodologia implantada na Formação dos jovens jogadores do Ajax da Holanda.

TIP'S, Técnica, Inteligência, Personalidade e Speed (Velocidade). Estes são os quatro elementos chave da Escola de Futebol do Ajax. Utilizando um modelo de trabalho uniforme desde os jogadores mais jovens até à sua equipe profissional. A sua filosofia de formação é encarrada por todos os intervenientes como uma forma de vida, de crescer e de todos se desenvolverem tanto a nível pessoal como profissional. O seu modelo de jogo é igual para todas as equipes. Todos os seus treinadores têm que estar preparados para trocar os seus próprios métodos por algo que se define como a cultura do clube, onde tudo está previamente definido e estabelecido.

Os principais objetivos dos treinadores da Escola do Ajax são:

  • O desenvolvimento da Inteligência Tática (IT) de cada jogador em função da posição que ocupa em campo; 

  • O desenvolvimento da capacidade Técnica de cada jogador.
As regras básicas da sua Escola passam pela explicação do que se faz e porque se faz, a todos os jogadores. Questioná-los com questões em cada situação treinada, fazê-los pensar, encontrando soluções, movimentos de forma  a que rapidamente saibam comportar-se perante todas as situações que um jogo de futebol pode trazer.

Outro elemento importante é o Discurso Tático, este é invariável. Se um jogador não pode ou não sabe interpretar determinada posição, rapidamente é adaptado a outra, de modo a que seja sempre assegurado o máximo de rendimento das suas capacidades técnicas.

Desta forma interrogo. Em quantos clubes brasileiros há essa preocupação? Pois, somos um país de dimensões continentais, se tivessemos esse tipo de preocupação, talvez o Brasil poderia ter muito mais craques do já temos. Apenas lembrando que a Holanda deve ter as dimensões territoriais do tamanho do Estado de Santa Catarina e por isso uma população bem menor que a brasileira. Mas lá, o que interessa é o cognitivo e não outras variáveis como vemos por aqui. Como eu gosto de relatar aos meus atletas. Temos que ser os mais inteligentes e não os mais fortes. Quem sabe um dia chegamos lá. 


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

TREINAMENTO É FUNDAMENTAL


Usar a metodologia de treinamento fundamental, nas Escolas de Futebol é muito importante, pois, é específica da modalidade de futebol, que é executada de maneira geral e universal-objetivo. Contém exigências técnicas específicas e coloca no centro o aprendizado de técnicas específicas da modalidade esportiva e de movimentos especiais, especialmente sob condições padronizadas e facilitadas.

No treinamento fundamental, a participação em competições já representa um papel especial. Nisso deve ser observado o princípio de unidade entre treinamento e competição. Isso significa o seguinte: na competição deve ser exigido só o que já foi exercitado antes nos treinamentos, além disso, a atividade de competição tem uma certa função de controle para aquilo que foi aprendido no treinamento. Por outro lado, no treinamento é aprendido e exercitado o que a competição exige.

Desta forma, o treinamento é fundamental para podermos estar aperfeiçoando as capacidades físicas, técnicas, táticas e psicológicas dos alunos, principalmente na fase da puberdade.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

A CRIANÇA E O TREINAMENTO DESPORTIVO


Na idade infantil, quando entre outros aspectos, é desejada uma razoável medida da otimização do desempenho, mas não obrigatoriamente uma maximização do sucesso. Quando juntamente com o treinamento, também são mantidos espaços livres para a criança, onde ela pode realizar suas necessidades imediatas (lúdicas). E quando a responsabilidade para o desenvolvimento total da criança tem prioridade sobre as normas de treinamento e de competição.

As condições de treinamento e de competições devem ser adaptadas à condição especial da criança, às suas aptidões, capacidades e condições de desenvolvimento.

Tenho um argumento que justifica a participação da criança no processo de treinamento esportivo. Formação e educação são ligadas inseparavelmente ao processo de treinamento (HARRE, 1970 apud JOCH, 2005, p. 21). Sendo assim, fica claro que a capacidade de desempenho esportivo deve ser promovida em todas as faixas etárias e que o treinamento esportivo é um processo dirigido por princípios pedagógicos da perfeição esportiva, que, mediante ações planejadas e sistemáticas sobre a capacidade e a disposição de desempenho, objetiva os mais altos desempenhos.

Para que esses altos desempenhos, realmente apareçam é muito sensato acabar com as falhas na formação básica. Uma grande parte dos motivos, que dificultam os altos desempenhos posteriores, está na preparação preliminar. Então, se já o fundamento apresenta falhas, a estrutura a ser erguida em cima estará constantemente ameaçada pelo perigo de cair. Por isso JOCH, 2005 relata que, na promoção do talento deve-se dar importância à formação básica motora. Ela é, quando se fala em formação básica na escola e no esporte escolar, como iniciação na promoção do talento, aquela área parcial na estrutura de treinamento sistemático de longo prazo de talentos esportivos, que pode ser integrada mais facilmente no trabalho com crianças em idade escolar. Realizar, quantitativamente e qualitativamente, esta etapa inferior da estrutura do treinamento de longo prazo de crianças e adolescentes deve ser o objetivo de todo profissional que trabalha com essa clientela. E a melhor maneira de oportunizar isso é deixar a criança vivenciar o jogo.

sábado, 11 de setembro de 2010

A INDÚSTRIA DO FUTEBOL EMBASADA NA GLOBALIZAÇÃO

"A descoberta de que a terra se tornou mundo, de que o globo não é mais apenas uma figura astronômica, e sim o território no qual todos encontram-se relacionados e atrelados, diferenciados e antagônicos - essa descoberta surpreende, encanta e atemoriza. Trata-se de uma ruptura drástica nos modos de ser, sentir, agir, pensar e fabular. Um evento heurístico de amplas proporções, abalando não só as convicções, mas também as visões de mundo. [...] A Terra mundializou-se de tal maneira que o globo deixou de ser um figura astronômica para adquirir mais plenamente sua significação histórica." (Ianni, 2001, p. 13)
 Vivemos na era da globalização, onde as fronteiras estão cada vez mais próximas, onde canais de televisão e a internet nos oportunizam acompanhar o que acontece com os maiores clubes de futebol  do mundo, acessando seus sítios oficiais, podemos saber o que foi trabalhado no dia de treinamento, quais jogadores treinaram normalmente e o principal que metodologia está sendo utilizada por cada um destes treinadores.

Desta forma, não podemos achar (como ouço em algumas conversas) que o futebol moderno é pior do que o futebol mais antigo. Hoje o futebol é um meio de entretenimento, no Brasil ainda percebemos que estamos engatinhando nesse caminho que não terá mais volta. Pois a própria legislação obriga os clubes a terem um processo de empresarização, que é influência direta no comportamento empresarial. É sabido que o futebol brasileiro causa inveja aos olhos internacionais. Afinal, a seleção brasileira é a maior campeã mundial e os jogadores brasileiros estão frequentemente ocupando o topo das listas dos melhores jogadores do mundo. Mas isso, entretanto, não se aplica ao estado da indústria do futebol nacional, que convive com clubes com alto grau de endividamento, estádios antigos e vazios. Ao contrário da seleção nacional, os clubes brasileiros e seus técnicos dificilmente são objetos de admiração mundial. 

Quando olhamos os clubes europeus, percebemos essa preocupação de entretenimento, pois, o que a indústria do futebol vende? O que nós queremos ver no futebol? Em que estádio queremos assitir aos jogos ao vivo? E que jogadores queremos ver em campo?

O principal produto do futebol é a emoção, ninguém quer assitir a uma partida que já sabemos o resultado, por isso o futebol é o único esporte planetário que atrai tantos admiradores e tem um faturamento alto.

Os estádios europeus são verdadeiros espetáculos à parte, quem já visitou um sabe do que estou falando, tem área para tudo, segurança e comodidade (basta olhar a foto à cima) além de shows no início e intervalo dos jogos.

E na europa estão os maiores jogadores do futebol mundial divididos em vários clubes que possuem receita dignas de muitos PIB de países de terceiro mundo.

Então, não tem como voltar à trás, o futebol moderno é sim uma indústria embasada na globalização e as metodologias de treinamento que vem sendo aplicadas atualmente na europa mais cedo ou mais tarde serão a humanimidade no futebol (pra mim já é. Periodização Tática é a melhor forma de operacionalização de treinamento) e graças a globalização eu tomei conhecimento dessa metodologia.


segunda-feira, 6 de setembro de 2010

JOGO PARA A SAÍDA DE BOLA


Princípio: Valorização da posse de bola e retirada do setor de pressão

Sub-Princípio: Mecanismos de saída

Objetivo: Circulação da posse de bola e pressing defensivo

Tempos: 8 X 7'                                          Recuperação: 4'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: 3/4 de campo

Materiais: Discos, coletes, três balizas e bolas

Descrição

Número de jogadores 23 (10:10 + 3 goleiros)

Jogo situacional 10:10 em 3/4 de campo dividido por três balizas. A equipe atacante (vermelha) pode finalizar em duas balizas, utilizando a plataforma tática estipulada (1.4.3.3) e produzindo diversas saídas de jogo, sempre procurando tocar o minímo de vezes na bola e retirando a bola do setor de pressão. Primeiro, ela tem que marcar o gol na baliza colocada na região central, para após isso, finalizar na baliza da outra extremidade do campo. Com essa regra específica, consigo trabalhar a circulação de bola na região de meio campo, tanto da direita para a esquerda como ao contrário e também trabalhar o retorno dessa bola. A equipe defensora (azul) deve defender as duas balizas e quando recuperar a posse da bola, ataca a baliza defendida pela equipe vermelha. As duas equipes devem realizar o pressing alto no campo adversário, sempre atacando o jogador de posse da bola.
Após o termíno do tempo e da recuperação, as equipes trocam de lado de campo.




sexta-feira, 3 de setembro de 2010

JOGO PARA ORGANIZAÇÃO OFENSIVA


Princípio: Mobilidade Ofensiva

Sub-Princípio: Zonas de Criação

Objetivo: Utilização do espaço entre as linhas adversárias defensivas

Tempos: 8X6'

Adapatação Biológica: Mobilidade Específica

Dimensões: Campo todo

Materiais: Discos, coletes e bolas



Descrição

Número de Jogadores 18 (10:6 + 2 goleiros)           

Jogo situacional 10:6, iniciando com o tiro de meta do goleiro. O jogo se desenvolve em metade do campo num 6:6, após a bola ser lançada pelo goleiro (e a equipe atacante ganhar a 1ª e 2ª bola) um dos laterais realizará a ultrapassagem fornecendo o apoio ofensivo e criando um 7:6. Desta forma, a equipe atacante terá que ter a posse de bola com o objetivo de desorganizar a estrutura adversária, através da circulação da bola. E finalizar o mais rápido possível.

Variação

Após determinado tempo do exercício, completar a equipe defensiva com 10 jogadores em campo e permitir há eles após a retomada da posse de bola que o busquem o contra-ataque na equipe que estava atacando.  

sábado, 28 de agosto de 2010

COMO QUEBRAR UM PARADIGMA?

Puzzle representativo da Fratalidade em Profundidade - Comportamento Geral Pretendido

Baseado na epistemologia (que significa o estudo do conhecimento) me pergunto: Como quebrar um paradigma?

Primeiro, precisamos saber o que é um paradigma. Paradigma em palavras simples, é a estrutura cognitiva que cada um de nós têm. Baseado nos treinamentos que nós tivemos (formação).

Nesse caso, em se tratando dos treinamentos de futebol, posso analisar e entender o por quê de tantos treinamentos que priorizam a corrente analítica em desprezo à corrente global (ou Periodização Tática). Por quê, nós professores de Educação Física (formados ou não) temos no cerne da nossa formação a corrente analítca como predominante. Esse paradigma portanto, passou a ser usado como a verdade absoluta, tratando de dividir os treinamentos em parte física, técnica, tática, etc. E, não é estranho que refutamos tudo que não seja parecido com isso.

Para que eu possa entender e compreender o por quê José Mourinho se nega a trabalhar da forma convencional, me apeguei na Gestalt. Mas o que é isso? A palavra Gestalt tem origem alemã e surgiu em 1523 de uma tradução da Bíblia, significando "o que é colocado diante dos olhos, exposto aos olhares". Hoje adotada no mundo inteiro significa um processo de dar forma ou configuração. Gestalt significa uma integração de partes em oposição à soma do "todo". A palavra gestalt tem o significado de uma entidade concreta, individual e característica, que existe como algo destacado e que tem uma forma ou configuração como um de seus atributos. Uma gestalt é produto de uma organização, e esta organização é o processo que leva a uma gestalt. Dizer que um processo, ou o produto de um processo é uma gestalt, significa dizer que não pode ser explicado pelo mero caos, a uma mera combinação cega de causas essencialmente desconexas, mas que sua essência é a razão de sua existência. Ou em simples palavras, é a capacidade de perceber os problemas existentes conforme a sua formação.

Mourinho percebeu os probemas existentes nos treinamentos analíticos e a partir de sua formação (estrutura cognitiva) desenvolveu uma forma de treinamento única para o seu Modelo de Jogo e que vem dando muitos resultados positivos. Mas como os paradigmas que são usados na diferenciação entre o que é ciência ou não-ciência, tem haver com os treinamentos de futebol? Já que o futebol não é uma ciência. Mas como relata J. Bangsbo "o futebol não é ciência, mas a ciência pode ajudar a melhorar o rendimento do futebol". Posso dizer que, Mourinho quebrou um paradigma frente as metodologias de treinamento no futebol. 

domingo, 22 de agosto de 2010

JOGO DE TRANSIÇÃO + PRESSING


Princípio: Valorização da posse da bola e retirada do setor da pressão

Sub-Princípio: Mecanismos de saída

Objetivo: Transição Ofensiva/Defensiva + Pressing Alto

Tempos: 5X8'                                 Recuperação: 4'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: campo todo

Materiais: Cones, discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 32 (10:10:10 + 2 goleiros)

Jogo situacional 10:10 numa metade do campo e na outra metade do campo a terceira equipe aguarda a definição do confronto.

A equipe defensora deverá sair jogando e quando a bola for lançada/recebida num dos dois quadrados nas laterais do campo, passará a atacar a terceira equipe no outro campo. A equipe atacante, têm que realizar o pressing alto e impedir a equipe defensora (de posse de bola) chegar até a zona de transição. 

As equipes não podem defender dentro da área penal, mas os atacantes podem receber a bola lá dentro (desde que, não estejam impedidos). A cada finalização correta, a equipe que finalizou permanece no ataque com o reinício no meio campo. 

domingo, 15 de agosto de 2010

JOGO PARA O PRESSING


Princípio: Pressing

Sub-Princípio: Zona Pressionante

Objetivo: Definição do pressing no terceiro setor do campo

Tempos: 6 X 7'                      Recuperação: 7'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: 3/4 campo

Materiais: Discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 16 (7:7+2 goleiros)

Jogo situacional 7:7, onde a equipe atacante têm a função de finalizar o mais rápido possível na baliza contrária. A equipe defensora terá que, realizar o pressing no terceiro setor do campo, efetuando a "dobra de marcação" (2:1, 3:2) sempre estando em superioridade numérica no setor combinado e impedindo a progressão da equipe adversária. 


sábado, 7 de agosto de 2010

IDENTIFICAÇÃO TEÓRICA E PRINCÍPIOS DE JOGO


Essa é uma questão interessante sobre a operacionalização do treinamento do futebol. Pois está intimamente relacionado com a complexidade daquilo que pretendo, portanto, quanto mais complexa for a informação que quero transmitir mais importante se torna o apoio teórico.

É deciso ter um apoio teórico, com imagens, ajuda da prancheta para que eu possa ter os determinados tipos de comportamentos que a equipe exerça durante as partidas. Todos os materiais didáticos podem e devem ser utilizados na operacionalização do treinamento do futebol, principalmente nas categorias de iniciação (onde eu atuo) pois desta forma, as crianças conseguem ter uma maior aproximação com os comportamentos através dos estímulos visuais.    

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

MANO MENEZES - MODELO DE JOGO

video

A nossa Seleção sendo comandada por um pessoa que começou onde todos devem começar, as categorias de base. Para após anos de experiência e vitórias, alcançar o selecionado brasileiro.

Gostei muito da entrevista (esse é apenas um relato sobre o Modelo de Jogo). Entrevista na íntegra no sitio http://www.universidadedofutebol.com.br/.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

INOVAÇÃO ESPANHOLA

video

A Seleção Espanhola sub-19 vem encantando no Campeonato Europeu da categoria. O menino Ezequiel Calvente inovou em sua cobrança de pênalti contra a Itália.

A Fúria mostra que está muito bem em suas divisões de base e conta inclusive com atleta brasileiro, o filho do tetracampeão mundial Mazinho, Thiago Alcántara é o principal nome do time sub-19 da Espanha, que faz grande campanha no Campeonato Europeu da categoria, o habilidoso meia do Barcelona (ESP), apesar de ter nascido na Itália, está na Espanha desde os 13 anos, mas segundo o seu pai (Mazinho) possui cidadania brasileira e quer jogar pelo Brasil. Pois só atuou (por enquanto) nas seleções de Base da Espanha, sendo assim, poderá atuar pela seleção principal brasileira, se for convocado. Senão, será mais um talento arrebatado pelos países além mar!  

sábado, 24 de julho de 2010

JOGO DE POSSE E CIRCULAÇÃO DE BOLA


Princípio: Posse e Circulação de Bola

Sub-Princípio: Equilíbrio Posicional

Objetivo: Velocidade Coletiva

Tempos: 8X1'30"                 Recuperação: 40"

Adaptação Biológica: Velocidade Específica

Dimensão: 1/2 campo

Materiais: Discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores: 11 (7:4)

Jogo situacional 7:4. Os jogadores dispostos taticamente num 4:3, onde os dois zagueiros centrais estarão abertos na região central, mais os dois laterais (direito e esquerdo) bem abertos em suas alas. Mais há frente, estarão posicionados os três atacantes, um bem aberto na direita, outro mais centralizado e o terceiro aberto na esquerda. Na região intermediária central estarão quatro defensores que, tentarão recuperar a posse de bola um de cada vez. Assim a equipe de posse de bola terá que circular a bola rapidamente entre todos os jogadores dispostos geometricamente no terreno de jogo o mais rápido possível.

 

sábado, 17 de julho de 2010

USAR BEM A AMPLITUDE E PROFUNDIDADE DO CAMPO RESULTA EM GOL

video

Este é um fenômeno dos mais interessantes no futebol. Pois, num espaço tão amplo, como o de um campo de jogo, a equipe bem treinada tem de se valer do recurso de saber usar a amplitude e profundidade do campo, não permitindo deixar grandes espaços vagos entre os jogadores (tanto em posse de bola como sem ela). Mas hoje, falarei apenas em posse de bola. 

O que eu chamo de amplitude é a largura do campo (horizontal), uma equipe bem organizada posicionalmente no espaço de jogo, terá uma posse de bola de forma equilibrada e seus jogadores estarão dispostos geométricamente em campo para receber essa bola em condições ideais de jogo (ocupação racional do espaço) e trabalhá-la com circulação da bola e viradas de jogo (velocidade coletiva), até que consiga desorganizar a defesa do adversário para poder dar profundidade ao jogo .

O que eu chamo de profundidade é o comprimento do campo (vertical), uma equipe com jogadores com boa visão de jogo e bons passes médios e longos, podem verticalizar o jogo e deixar um companheiro em plenas condições de marcar um gol, desde que, esse jogador tenha entendimento da Regra 11, impedimento. 

É o que o Barcelona F. C. vem fazendo e muito bem ao longo das últimas temporadas.

domingo, 11 de julho de 2010

JOGO PARA O PRESSING


Princípio: Pressing

Sub-Princípio: Zona Pressionante

Objetivo: Definição do tipo de pressing nos 3 ou 4 setores do campo (serve para trabalho Regenerativo em Especificidade)

Tempos: 8X4'                Recuperação: 4' (troca-se os jogadores)

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: 1/2 campo

Materiais: Cones, discos, coletes e bolas



Descrição

Número de jogadores: 11 (7:3 + 1 goleiro)

Jogo situacional 7:3, onde o goleiro bate o tiro de meta para um dos zagueiros abertos nas laterais e este, receberá auxílio de um volante, o objetivo é finalizar em uma das duas balizas menores localizadas nas laterias do campo.  Os três atacantes juntamente com o meia, os dois volantes e o lateral direito adversário, realizam a marcação em zona (zona pressionante) no jogador com a posse da bola, após recuperá-la finalizar em gol (baliza normal protegida pelo goleiro) com o mínimo de toques possíveis. Após a finalização, recomeça o jogo com o tiro de meta do goleiro.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

MUDANÇA, TRANSFORMAÇÃO. O QUE É MELHOR PARA UM CLUBE ?


Quando há uma troca de treinador em algum clube, eu me pergunto, será que a diretoria do clube está procurando uma mudança ou quer uma transformação?

Vou explicar melhor. Eu entendo que uma mudança significa na troca de pessoa que está no comando (no caso do futebol o treinador), geralmente quando se troca o treinador muda-se a comissão técnica toda, mas o trabalho será o mesmo (mesma rotina de treinamentos tradicionais), ou seja, apenas troca-se quem vai realizar o trabalho. E no início, isso surte efeito, pois o grupo de jogadores querem mostrar para a nova comissão técnica que estão dispostos há serem titulares. A chamada mudança psicológica, mas com o passar do tempo tudo volta como estava antes, resultados negativos, novas especulações sobre troca de treinador e por aí vai.

Mas quando se trata de uma transformação, o clube quer algo mais. E é isso que o Real Madrid C.F. quer ao contratar José Mourinho, uma transformação. A transformação diz respeito há algo novo, diferente do realizado até então. E no caso do futebol o que seria esse algo novo, diferente, se como dizem por aí, "no futebol não tem mais nada o que inventar". A metodologia de treinamento de José Mourinho, isso é a transformação. Mourinho se recusa a trabalhar como os demais treinadores, ele não está preocupado com as cargas físicas do treinamento, ou com aspectos quantitativos, por exemplo, o uso de frequencímetros para aferição da frequência cardíaca para através dela, saber a suposta intensidade do esforço em uma sessão de treinamento. E pergunto? Qual será o intervalo da frequência cardíaca ideal para uma basculação coletiva até a direita para, pressionar o lateral esquerdo adversário com a posse da bola? 

Mourinho acredita que os aspectos quantitativos são redutores, um bloqueio epistemológico e, portanto metodológico. Para ele o que importa é o Modelo de Jogo (aspectos qualitativos) a ser criado e implementado junto com os jogadores, pois como ele diz: "Craque, craque é a equipe." E isso se constroi no treinamento, nas mudanças de comportamentos, através da operacionalização desse treinamento ao longo da temporada.

Nesse ano, teremos o prazer de assistir um grande Campeonato Espanhol, com grandes confrontos entre Barcelona F.C. e Real Madrid C.F. (em transformação). E eu acho isso melhor para um clube.