Abordagem de Ensino Baseada no Jogo

sábado, 26 de junho de 2010

JOGO PARA COMPACTAÇÃO - OFENSIVA/DEFENSIVA


Princípio: Compactação

Sub-Princípio: Fechar as linhas e definir o bloco de pressão

Objetivo: Diminuir os espaços entre os setores e tornar a equipe mais compacta (funcionando como um bloco único)

Tempos: 5X8'                           Recuperação: 2' 

Adaptação Biológica: Resistência Específica e melhora  da concentração.

Dimensão: 3/4 do campo

Materiais: Discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 18 (8:8 + 2 goleiros)

Jogo específico 8:8. Para defender a equipe deverá sempre ocupar o espaço médio de duas faixas germinadas (tranversais) incluindo a faixa onde está a bola. Se o adversário está com a bola na faixa 2, todos os jogadores deverão ocupar as faixas 2 e 3. No ataque, devem-se dispersar no espaço mínimo de três faixas germinadas para criar as situações de jogo que permitam a troca de passes e a fluência das jogadas.

Nas faixas longitudinais, os defensores, devem se colocar em duas faixas germinadas a partir daquela onde a bola está. E, os atacantes, dispersar inteligentemente em duas ou três faixas de campo na direção da baliza contrária. 


sábado, 19 de junho de 2010

QUEM TREINA AS SITUAÇÕES DE IMPEDIMENTO?


“Não basta manter boa relação individual com a bola: é preciso aprender a ler o jogo. E desse modo, aprender a se comunicar em meio à ação”. Alcides Scaglia.

Com base nesta citação do Professor Dr. Alcides Scaglia, escrevo a matéria dessa semana. Perguntando: quem treina as situações de impedimento nas sessões de treinamento?

Essa pergunta se torna pertinente, pelo motivo da Regra 11 – Regra do Impedimento, ela é responsável por grande parte da dinâmica de jogo no futebol. Por isso, abordar as inúmeras situações de impedimento nos treinos técnicos e táticos é importante, pois condiciona o atleta a ser cada vez mais eficiente nessas circunstâncias. A produtividade ofensiva de uma equipe está diretamente relacionada à interferência da regra do impedimento nas ações de ataque criadas por ela.

É aqui que entra a importância da formação. Imaginemos uma criança de 14 anos que só jogou o jogo de pelada a vida toda, e agora entrou em uma equipe que participa de competições formais, ela têm muita competência com a bola nos seus pés, mas ela não consegue jogar (ou, não é tão competente, faltam-lhe algumas habilidades), pois a regra do impedimento exige singular estruturação do espaço, que se não dominada, não se alcançará níveis mais elaborados e estruturados (organização espacial) de jogo.

Para que essa situação seja minimizada, os treinamentos com a regra do impedimento devem ser iniciados nas categorias Sub-11 e que seja respeitada a zona de desenvolvimento proximal (ZDP) desses atletas, para que eles possam entender essa regra de forma clara e possam aplicá-la a seu favor durante as competições.

Enfim, trabalhar com a formação de atletas vai além de se ter “jogado” o futebol, necessitamos é de uma boa metodologia de treinamento e de operacionalização científica para entendermos como funciona o futebol moderno.

sábado, 12 de junho de 2010

REPOSIÇÃO DE BOLA


As reposições de bola em jogo pelo goleiro (jogador muitas vezes negligenciado nos treinamentos táticos), são muito importantes para uma equipe ter uma transição de defesa para o ataque organizada.

Um goleiro que tenha, ótima precisão na reposição da bola em jogo com os pés ou com as mãos, tem uma grande importância num Modelo de Jogo que tenha como prioridade a saída rápida da defesa para o ataque, principalmente após escanteios defensivos. Pois, desta forma, poderemos contra-atacar a equipe adversária em superioridade númerica, e assim, tendo algumas movimentações bem treinadas e velozes teremos muita vantagem sobre os adversários.
 

Nos treinamentos temos que nos preocupar com esse fator muito importnate do microciclo, o treino da reposição da bola em jogo, sem esse fator, não existe possibilidade de conseguirmos êxito numa partida, muito menos, de implantarmos um Modelo de Jogo com a participação do goleiro, se este, ficar alheio aos trabalhos táticos. Pois o goleiro faz parte da organização defensiva da equipe e é uma peça fundamental para uma equipe que queira ser vitoriosa.

Acredito que com essas preocupações, treinadores atentos na forma de como se operacionalizam as formas de trabalhar o futebol especificamente saem ganhando. 

sexta-feira, 4 de junho de 2010

OS OBJETIVOS DAS FASES DO JOGO

Todas as ações realizadas pelos jogadores que sejam de caráter individual ou coletivos durante o transcurso da partida tem como finalidade obter a maior eficácia possível no desenvolvimento de uma série de intenções táticas (ofensivas e defensivas).

Basicamente o jogo se distingue em oito grandes objetivos táticos:

Objetivos

Ofensivos                                              Defensivos

Manter a posse da bola                      Recuperar a posse da bola

Progressão no jogo                            Evitar a progressão no jogo

A finalização                                       Evitar a finalização

Superar as situações de 1:1  Evitar ser superado nas situações 1:1

OBJETIVOS OFENSIVOS

São intenções que a equipe que se encontra com a posse da bola.

  1. Manter a posse da bola: através deste objetivo do jogo a equipe atacante tenta conservar a bola em seu poder mantendo a iniciativa do jogo.


Este objetivo de jogo apresenta uma série de aspectos favoráveis:


  1. Conservar um resultado favorável;
  2. Manter a iniciativa de jogo;
  3. Ganhar tempo na partida;
  4. Modificar o ritmo da partida;
  5. Evitar a perda da bola;
  6. Desgastar física e psiquicamente o adversário ao não permitir-lhe recuperar a posse da bola.


Para a realização com eficácia deste objetivo são necessárias o domínio integrado de uma série de ações táticas, técnicas, físicas e psicológicas por parte dos jogadores tanto no espaço individual como coletivo.

AÇÕES TÁTICAS

  1. Com respeito a bola: noção de tempo (tempo de bola), paredes (aparas), organização coletiva e velocidade coletiva;
  2. Com respeito aos adversários: desmarcações;
  3. Com respeito aos espaços: amplitudes (profundidade e largura), espaços livres;
  4. Com respeito aos companheiros: apoios.

Para manifestar este objetivo são necessárias ações táticas de apoios e desmarcações dos jogadores, para com o jogador de posse da bola, para facilitar e dar possibilidades de envio da mesma através de paredes (aparas), organização coletiva, etc. E, é importante a amplitude (largura) para obrigar o adversário a defender um maior número de metros no campo.

AÇÕES TÉCNICAS


  1. Individuais: controle, condução e finta;
  2. Coletivas: passe, ações combinadas.


Para manifestar este objetivo são necessárias ações técnicas individuais e coletivas, sendo que para desenvolver as ações táticas como, noção de tempo (tempo de bola), paredes (aparas), organização coletiva, etc., é necessário o domínio de ações técnicas como a condução, finta, passes, etc.

Tendo entendido isso, passamos a entender a importância de um bom planejamento de treinamentos, para que possamos ter uma equipe jogando com objetivos ofensivos e defensivos bem definidos e, o principal, sabendo por que estão realizando certos objetivos.