Abordagem de Ensino Baseada no Jogo

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

JOGO FRACTAL PARA ABERTURA DE ESPAÇOS APÓS O ROUBO DA BOLA


Descrição

3 vs 3 + 2 coringas. Em dois dos lados do quadrado há um coringa. Os outros dois lados são ocupados por um jogador de uma das equipes que está em posse de bola, entretanto o terceiro integrante se encontra dentro do setor de jogo. O objetivo é manter a posse da bola e os outros tentam roubá-la. Quando conseguem há uma troca de posições rápida (sem parar o jogo). Se conseguir recuperar antes dos 3 passes rivais, após a perda, é 1 ponto.
Referência

POL, Rafel. La Preparación Física en el fútbol: el proceso de entrenamiento desde las ciencias de la complejidad. 2 ed. MCsports, 2013. 


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

TOMADA DE DECISÃO EM AMBIENTE DE JOGO


Vídeo da Atividade


Particularmente, sempre busco criar ambientes de aprendizagem nas minhas aulas/treinamentos. Contrariamente a proposta feita por outras metodologias de trabalho  que baseiam a tomada de decisões em processos meramente cognitivos, independentes do  entorno em que estas acontecem, eu procurar buscar uma transferência para o ambiente competitivo mediante a inferência dos processos cognitivos previamente estimulados. Destarte,  ao entender que a ação do  aprendiz/esportista modificará a informação presente no entorno, e será esta informação a que guia o  aprendiz/esportista em suas decisões e ações, entendemos que os processos de decisão e ação são interdependentes, formando  um ciclo de retro-alimentação constante entre os processos de percepção e de ação.

Destarte, resulta difícil definir uma hierarquia entre decisão e ação. Uma ação é uma interação funcional entre o aprendiz/esportista (no caso do  futebol jogador) e seu entorno com um determinado propósito e uma decisão esta condicionada pelo entorno (o que pode ser feito) em função das capacidades de ação do  aprendiz/esportista, sendo  um processo emergente, fruto da estratégia ativa em  busca de soluções caracterizada por sequências espaço-temporais em relação entre o aprendiz/esportista e o   entorno. Por isso é importante insistir na incoerência de dividir os processos de decisão (tática) e os processos de ação (técnica/condição física) no processo  de treinamento, como assim nos corrobora a neurociência.