Abordagem de Ensino Baseada no Jogo

sábado, 26 de fevereiro de 2011

JOGO PARA O PRESSING

Princípio: Pressing

Sub-Princípio: Zona Pressionante

Complexidade: 2 (média)

Objetivo: Definição do tipo de pressão no 3º ou 4º sertor do campo

Tempos: 2 X 4'          Rec.: 1'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Materiais: Discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 16 (7:7 + 2 goleiros)  Dimensões 1/2 campo

Jogo específico 7:7. Onde uma equipe só pode finalizar de fora da área demarcada e, a outra  pode realizar lançamento em profundidade na área adversária para um atacante entrar em situação de 1:1 com o goleiro. Os defensores não podem entrar na área nesses lançamentos, (assim trabalham o pressing sobre o jogador portador da bola para evitar o lançamento). Só poderão entrar se a jogada for realizada pelo fundo do campo. Após o término do tempo, dar alguns feedbacks e trocar os lados.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

CONTRIBUIÇÃO DOS PORTUGUESES

Fractal é uma estrutura ramificada e arborescente que modeliza um sistema complexo na qual partes se assemelham ao todo (MANDELBROT, 1983).


"Quando se admitirá que um movimento desportivo descontextualizado ou desajustado (movimento torpe) de resposta correta é, por mais suor que exija, uma teoria..., e que uma percepção mental correta de uma situação é (antes do gesto) uma prática?"



Vitor Frade, 1985

Sou uma pessoa que começou a trilhar o caminho de treinador de futebol no ano de 2007. Quando se iníciou um projeto no Colégio São Jósé de Porto União-SC em parceria com as Escolas de Formação de Talentos para o Futebol do Clube Atlético Paranaense (hoje Escola Furacão). Até então, atuava com treinador de voleibol do Colégio.

A partir daí, comecei a buscar novas alternativas para deixar as sessões de treinamento mais instigante para os alunos. Mas, como tudo que é novo que é tentado ser colocado em prática por alguém que não foi jogador de futebol, dificilmente é aceito de imediato. No ano de 2009, tive a oportunidade de conhecer e estagiar com o Professor Michel Huff (hoje preparador físico do FC Metalist) na AA Iguaçu Sub-20. Observando suas sessões de treinamento, a forma como ele conduzia os trabalhos, era a forma que eu também achava que deveriam ser feitos os treinamentos em futebol. Dentro da especificidade do JOGO. Já tinha um conhecimento superficial sobre a Periodização Tática, mas através de conversas durante um semestre com o Professor Michel Huff, pude ler materiais por ele fornecido e através de um outro amigo que está fazendo Doutorado em Porto (Silvio Costa Sampaio), tive acesso a mais materiais relacionado a essa metodologia.

"A "Periodização Tática" é uma Metodologia de Treinamento que surge há mais de trinta anos na cabeça do Professor Vitor Frade quando, através de experiências que lhe ocorreram, começa a questionar as Metodologias de Treinamento existentes até o momento".   

" Ao entender que o Futebol e o JOGO que uma equipe produz não podem ser entendidos desde o Pensamento Científico Clássico (analítico e descontextualizador) dada a sua globalidade, imprevisibilidade e estado-não linear, decide buscar em Teorias mais adequadas aos tipos de problemas que estão propondo, chegando as Teorias Sistêmicas, que junto a certos Princípios Metodológicos preconizados acabaram por configurar a 'Periodização Tática'".

"A 'Periodização Tática' é uma Metodologia de Treinamento cuja preocupação máxima é o JOGO que uma equipe pretende produzir na competição. É por isso que o Modelo de Jogo assume-se como guia de todo o processo, produzindo-se uma modelação através dos Princípios, Sub-Princípios, Sub-Princípios de Sub- Princípios do JOGO que o formam, conseguindo alcançar uma adaptação Específica e de qualidade ao respeitar os Princípios Metodológicos que a sustentam". (TAMARIT, 2007). 

E essa é uma Metodologia de Treinamento criada em território português, por um professor que trabalhava (ou ainda trabalha) no FC Porto e também ministra aulas na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FCDEF), e nunca foi jogador de futebol profissional, que tem como seu maior expoente o treinador José Mourinho. 

Essa é a contribuição dos portugueses para o futebol, uma Metodologia de Treinamento que vai de encontro com aquilo que Vitor da Fonseca explana:
"[...] uma vez que o cérebro não pensa em músculos, mas sim em movimentos como soluções de problemas".
(FONSECA, 2008).

Referências

FONSECA, Vitor da. Desenvolvimento Psicomotor e Aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MANDELBROT, Benoit B. The fractal geometry of nature. New York: [s.n.], 1983.

TAMARIT, Xavier. Qué es la "Periodización Táctica?" Vivenciar el JUEGO para condicionar el juego. MCSports, 2007.




       



segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

ROMPENDO FRONTEIRAS


O futebol brasileiro é famoso por exportar seus craques para todos os gramados e melhores competições do mundo. Mas, isso não é muito comum com os integrantes das comissões técnicas. Hoje, eu tenho a grande satisfação de comunicar que, o Professor Michel Huff (foto), foi contratado para assumir a preparação física do FC Metalist de Kharkiv Ucrânia, equipe de Tyson (ex-Internacional de Porto Alegre) e Cleiton Xavier (ex-Palmeiras). Foi contratado por, entender que no futebol à preparação física não pode ser como no atletismo. Por realizar um trabalho dentro da especificidade do jogo, o Professor Michel Huff, é o primeiro integrante de uma comissão técnica na Ucrânia.  Conversei hoje (14/02) com o Professor Michel Huff, ele está muito contente com esse novo desafio e, por estar rompendo fronteiras e quem sabe abrindo portas para futuros profissionais do futebol brasileiro ingressarem no mercado de futebol do leste europeu.


Nesta quinta-feira dia 17, o FC Metalist enfrentará o Bayer 04 Leverkusen, pela dezasseis-avos-de-final, Primeira mão, da UEFA Europa League 2011, às 17:00CET (18:00 Hora local) no Metalist Stadion - Kharkiv.

 Esse jogo será a estréia do Professor Michel Huff no comando da preparação física do clube numa competição continental. Desejo muito sucesso, a essa pessoa muito competente, que um dia me oportunizou olhar o futebol com outros olhos. A partir de hoje o FC Metalist ganha mais um torcedor.

Me despeço com uma frase que vem de encontro com as conversas sobre metodologias de treinamento em futebol que tenho com o Professor Michel Huff, desde os tempo de A.A. Iguaçu no ano passado até hoje no FC Metalist:
"A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original".
Albert Einstein 
 
 

sábado, 12 de fevereiro de 2011

A ARTE DO PRESSING

video

O Pressing, é a postura agressiva e conjunta exercida por um grupo de jogadores, mas prefiro, por toda a equipe com o propósito de retomar a posse da bola do adversário ou não lhe permitir que progrida em campo. A sua principal característica é, marcar "forte" em todos os setores do campo onde se encontra um adversário que possa vir a receber a posse da bola.

Pressing, signifca pressionar, apressar (pressionar não apenas o jogador que está com a posse da bola, mas sim, a equipe adversária de posse da bola).

Rinus Michels, nos deixa um relato sobre o 'futebol de pressing':

"Na minha filosofia, desde o momento em que se perde a bola, o objetivo prioritário é recuperá-la. Este é o futebol de pressing".

"[...] Corre-se grande risco porque além de deslocar o homem livre ao meio campo e deixar o dispositivo defensivo sem o homem extra da cobertura, se apenas um jogador não marcar corretamente o adversário que tenha condições de receber um passe, o ataque contrário poderá se concretizar, pois o caminho estará aberto. Por esta razão devemos contar com onze homens inteligentes e adaptáveis. Pedimos inclusive ao goleiro que se poste fora da área penal, para ser um líbero ainda que provisoriamente, para impedir os possíveis ataques do adversário que saiam de passes longos [...]" (Michels, 1987: p. 127)

Hoje a equipe que melhor apresenta esse tipo de jogo é o FC Barcelona.




domingo, 6 de fevereiro de 2011

O TALENTO



Um dos assuntos mais intrigantes para quem trabalha com o futebol, sem dúvida, é a questão do TALENTO!

Quem nunca ouviu, que em algum time da sua região existe um menino (que demonstra uma certa habilidade técnica com a bola) ser denominado de "craque". Muitos de nós sabe, que os observadores técnicos dos clubes (quase na sua totalidade) faz uma avaliação dos jovens jogadores pelo seu "instinto". O futebol tem evoluído em muitos quesitos, mas, na questão de seleção e identificação do talento, parece que estamos há muitas décadas defasados.

 Mas, afinal o que significa talento? Segundo Joch, 2005 p. 66:

" É considerado um talento quem alcança, com vontade e prontidão para o desempenho e dentro das possibilidades do ambiente real, resultados de desempenho de capacidades evolutivas acima da média da idade (de preferência comprovadas em competição), que representem o resultado de um processo ativo, acompanhado pedagogicamente e dirigido intencionalmente pelo treinamento e que esteja direcionado objetivamente para um nível de elevado desempenho esportivo, a ser alcançado mais tarde". 

Devido a tendência de perfil físico e fisiológico do jogador para uma futura comercialização com a Europa, muitos possíveis talentos são selecionados com base na sua estatura e no desenvolvimento físico, e não por suas habilidades técnicas, táticas e psicológicas, fazendo com que os que possuem um desenvolvimento mais tardio sejam preteridos por aqueles que não têm muito talento, mas que tenham o porte de jogador ainda jovem. Esta é uma situação que ocorre com frequência no futebol brasileiro. Devido ao imediatismo e à pressão pela descoberta de novos talentos, esta euforia (não avaliação) inicial aumenta a possibilidade de equívocos, pois nem sempre, o "craque" aos 13 anos, 15 anos e 17 anos, será aquele que vai despontar em categorias superiores e até mesmo no profissional.

Garganta (2006), acrescenta que, não existindo "talentos" em abstrato, o reconhecimento do talento implica quadros de referência, e por isso a questão não é como detectar "talentos", mas, antes criar cenários para que os "talentos" possam despontar e evoluir, pois desse modo eles revelam-se.

Tomo como exemplo, o Camp Barça, escola de formação do FC Barcelona, de onde sairam, Messi, Iniesta, Xavi, Piqué, Puyol, Busquets, Pedro, Bojan, Fabregas, etc. (O FC Barcelona atua com jogadores no seu meio campo com estaturas à baixo da média estabelecida como ideal!)

Desta forma, eu uso uma metodologia que possa identificar os principais constrangimentos decisivos para perfromances de excelência, e isso, me permitirá direcionar o processo de ensino-aprendizagem-treinamento para uma promoção do talento esportivo referente ao futebol.

Temos que ser os mais inteligentes, não os mais fortes!