Abordagem de Ensino Baseada no Jogo

sábado, 28 de agosto de 2010

COMO QUEBRAR UM PARADIGMA?

Puzzle representativo da Fratalidade em Profundidade - Comportamento Geral Pretendido

Baseado na epistemologia (que significa o estudo do conhecimento) me pergunto: Como quebrar um paradigma?

Primeiro, precisamos saber o que é um paradigma. Paradigma em palavras simples, é a estrutura cognitiva que cada um de nós têm. Baseado nos treinamentos que nós tivemos (formação).

Nesse caso, em se tratando dos treinamentos de futebol, posso analisar e entender o por quê de tantos treinamentos que priorizam a corrente analítica em desprezo à corrente global (ou Periodização Tática). Por quê, nós professores de Educação Física (formados ou não) temos no cerne da nossa formação a corrente analítca como predominante. Esse paradigma portanto, passou a ser usado como a verdade absoluta, tratando de dividir os treinamentos em parte física, técnica, tática, etc. E, não é estranho que refutamos tudo que não seja parecido com isso.

Para que eu possa entender e compreender o por quê José Mourinho se nega a trabalhar da forma convencional, me apeguei na Gestalt. Mas o que é isso? A palavra Gestalt tem origem alemã e surgiu em 1523 de uma tradução da Bíblia, significando "o que é colocado diante dos olhos, exposto aos olhares". Hoje adotada no mundo inteiro significa um processo de dar forma ou configuração. Gestalt significa uma integração de partes em oposição à soma do "todo". A palavra gestalt tem o significado de uma entidade concreta, individual e característica, que existe como algo destacado e que tem uma forma ou configuração como um de seus atributos. Uma gestalt é produto de uma organização, e esta organização é o processo que leva a uma gestalt. Dizer que um processo, ou o produto de um processo é uma gestalt, significa dizer que não pode ser explicado pelo mero caos, a uma mera combinação cega de causas essencialmente desconexas, mas que sua essência é a razão de sua existência. Ou em simples palavras, é a capacidade de perceber os problemas existentes conforme a sua formação.

Mourinho percebeu os probemas existentes nos treinamentos analíticos e a partir de sua formação (estrutura cognitiva) desenvolveu uma forma de treinamento única para o seu Modelo de Jogo e que vem dando muitos resultados positivos. Mas como os paradigmas que são usados na diferenciação entre o que é ciência ou não-ciência, tem haver com os treinamentos de futebol? Já que o futebol não é uma ciência. Mas como relata J. Bangsbo "o futebol não é ciência, mas a ciência pode ajudar a melhorar o rendimento do futebol". Posso dizer que, Mourinho quebrou um paradigma frente as metodologias de treinamento no futebol. 

domingo, 22 de agosto de 2010

JOGO DE TRANSIÇÃO + PRESSING


Princípio: Valorização da posse da bola e retirada do setor da pressão

Sub-Princípio: Mecanismos de saída

Objetivo: Transição Ofensiva/Defensiva + Pressing Alto

Tempos: 5X8'                                 Recuperação: 4'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: campo todo

Materiais: Cones, discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 32 (10:10:10 + 2 goleiros)

Jogo situacional 10:10 numa metade do campo e na outra metade do campo a terceira equipe aguarda a definição do confronto.

A equipe defensora deverá sair jogando e quando a bola for lançada/recebida num dos dois quadrados nas laterais do campo, passará a atacar a terceira equipe no outro campo. A equipe atacante, têm que realizar o pressing alto e impedir a equipe defensora (de posse de bola) chegar até a zona de transição. 

As equipes não podem defender dentro da área penal, mas os atacantes podem receber a bola lá dentro (desde que, não estejam impedidos). A cada finalização correta, a equipe que finalizou permanece no ataque com o reinício no meio campo. 

domingo, 15 de agosto de 2010

JOGO PARA O PRESSING


Princípio: Pressing

Sub-Princípio: Zona Pressionante

Objetivo: Definição do pressing no terceiro setor do campo

Tempos: 6 X 7'                      Recuperação: 7'

Adaptação Biológica: Resistência Específica

Dimensões: 3/4 campo

Materiais: Discos, coletes e bolas

Descrição

Número de jogadores 16 (7:7+2 goleiros)

Jogo situacional 7:7, onde a equipe atacante têm a função de finalizar o mais rápido possível na baliza contrária. A equipe defensora terá que, realizar o pressing no terceiro setor do campo, efetuando a "dobra de marcação" (2:1, 3:2) sempre estando em superioridade numérica no setor combinado e impedindo a progressão da equipe adversária. 


sábado, 7 de agosto de 2010

IDENTIFICAÇÃO TEÓRICA E PRINCÍPIOS DE JOGO


Essa é uma questão interessante sobre a operacionalização do treinamento do futebol. Pois está intimamente relacionado com a complexidade daquilo que pretendo, portanto, quanto mais complexa for a informação que quero transmitir mais importante se torna o apoio teórico.

É deciso ter um apoio teórico, com imagens, ajuda da prancheta para que eu possa ter os determinados tipos de comportamentos que a equipe exerça durante as partidas. Todos os materiais didáticos podem e devem ser utilizados na operacionalização do treinamento do futebol, principalmente nas categorias de iniciação (onde eu atuo) pois desta forma, as crianças conseguem ter uma maior aproximação com os comportamentos através dos estímulos visuais.    

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

MANO MENEZES - MODELO DE JOGO

video

A nossa Seleção sendo comandada por um pessoa que começou onde todos devem começar, as categorias de base. Para após anos de experiência e vitórias, alcançar o selecionado brasileiro.

Gostei muito da entrevista (esse é apenas um relato sobre o Modelo de Jogo). Entrevista na íntegra no sitio http://www.universidadedofutebol.com.br/.